Dá a Mão à Floresta

Comemorações do Dia Mundial da Floresta

No âmbito do dia da floresta, o Grupo realiza anualmente a iniciativa de Responsabilidade Social e Ambiental “Dá a Mão à Floresta”.

Este projecto tem como principal objectivo sensibilizar  para  a  necessidade  de  proteger  e  valorizar  a  floresta  nacional,  promovendo a preservação do meio ambiente através de acções pedagógicas de sensibilização do público infanto-juvenil nacional  é  o  principal objectivo  desta  nossa  iniciativa  de  Responsabilidade  Social  e  Ambiental,  que  tem vindo a ganhar notoriedade e reconhecimento, ano após ano.

Lançada no Ano Internacional da Floresta, que se celebrou em 2011, esta iniciativa que tem vindo a ganhar notoriedade e reconhecimento, ano após ano, tem reforçado  a componente de educação para a Sustentabilidade. Temos dinamizado, com milhares de crianças do 1º ciclo, e respectivos professores, actividades pedagógicas sobre as temáticas da protecção florestal e do ciclo sustentável do papel.

Realizada em parceria com as autarquias, e muito bem acolhida pelas comunidades locais, a acção “Dá a Mão à Floresta” tem lugar em diferentes regiões, de Norte a Sul do País, sendo distribuídas às populações milhares de plantas de espécies florestais e ornamentais provenientes dos viveiros do Grupo.  A acção constitui uma excelente oportunidade de o Grupo reforçar o seu compromisso público com a geração de riqueza e bem-estar nas regiões onde está presente com as suas unidades produtivas e áreas florestais, constituindo-se como um parceiro relevante na construção de uma cultura de valorização e protecção da floresta.

As características e pertinência desta iniciativa foram já reconhecidas pela Associação Portuguesa de Comunicação de Empresa (APCE), que a distinguiu como a Melhor Campanha de Comunicação de Responsabilidade Social nas edições de 2013 e 2014 do Grande Prémio APCE. 

A nossa campanha teve em 2015 uma forte adesão por parte da comunidade. Perto de 1500 crianças do 1º ciclo do Ensino Básico e do Pré-Escolar participaram nas actividades lúdico-pedagógicas  desenvolvidas  por  monitores  especializados  em  programas  de  educação  ambiental,  tendo  sido  oferecidas  5.500  plantas  oriundas  dos  nossos  Viveiros.

As opiniões comprovam o sucesso da acção

Fernanda Saraiva, professora do 1º ciclo de uma escola da Azambuja, salientou que: “Estas actividades são muito importantes para os meninos poderem ver ‘ao vivo’ o que aprendem na sala de aula”.

Já Santiago, criança com 5 anos de idade, referiu acerca do Jogo da Floresta: “A senhora disse qual era a árvore que dava para fazer folhas (de papel), que era o eucalipto”.